SEO: Hoje em dia, são cada vez mais os utilizadores, empreendedores e empresários que veem a internet como o caminho para sucesso do seu negócio. Essa procura reflete-se, consequentemente, num aumento de sites nas redes de pesquisa que se traduzem (inevitavelmente!) num aumento da concorrência.

Torna-se necessário ultrapassar todos os sites que possam oferecer as mesmas soluções que nós e aparecer em primeiro no resultado de pesquisa. Para isso, é necessário otimizar o nosso site para os motores de busca (SEO)!!! 

Deixamos-vos algumas dicas de SEO práticas e  fáceis de aplicarem no vosso site e que vão, de certeza, melhorar o vosso ranking nos motores de pesquisa!

Dicas de SEO essenciais:

 

1. Certifica-te de que tens o teu site indexado à Google.

Já alguma vez pensaste como é que funciona um motor de pesquisa? Quando fazemos uma pesquisa no Google, nem todos os sites que abordam esse tema aparecem nas páginas de resultados. Estamos a falar de centenas, se não milhares, de resultados. No entanto, dentro dos sites que aparecem, estes só estão presentes por estarem indexados ao Google. Mas como é que este fenómeno acontece?

O Google percorre – através dos seus Crawlers ou Spiders – todas as páginas existentes na internet em busca de sites que considere que devem ser anexados. Só estes irão depois aparecer nos resultados das suas pesquisas. Esta é uma das opções: esperares que o Google encontre o teu site e o indexe. Mas há outra: podes garantir que o Google indexa o teu site, tendo a certeza de que o teu site é considerado como resposta a pesquisas efectuadas.

Não  importa o quão brilhante é o teu conteúdo ou quanto tempo passaste a planear as tuas keywords, não podes melhorar o teu SEO se o Google não encontrar e indexar o teu site, porque não vais aparecer no resultado de pesquisas.

Assiste ao vídeo para veres como indexar o teu site ao Google:

2. O teu site adapta-se a todas as plataformas?

Hoje em dia as pessoas podem fazer uma pesquisa e visitar um site através de vários devicesdesktop, tablet ou smartphone. É fundamental certificares-te de que o teu site é responsive, isto é, que se adapta às dimensões de cada um, de forma a facilitar a navegação e a proporcionar uma experiência igualmente agradável a quem o visita através de diferentes plataformas.

Dicas de SEO essenciais para o teu site.

https://giphy.com/gifs/web-design-b2CD0Qrq2ulwY

 

Caso o teu site esteja criado em WordPress, é fácil certificares-te de que ele é responsive. Se escolheres um tema do Themeforest, é possível ver se determinado tema é adaptável a todos os devices.

 

Responsive

 

Outra dica: certifica-te também que o teu site funciona corretamente em qualquer browser! Há várias ferramentas que te permitem testar a compatibilidade do teu site e certificares-te de que está tudo OK.

3. Verifica se o teu site carrega rapidamente

Todos concordamos que se um site não carregar rápido, quem desiste rapidamente dele somos nós. A velocidade de carregamento de um site é fundamental.

You may have heard that here at Google we’re obsessed with speed, in our products and on the web. As part of that effort, today we’re including a new signal in our search ranking algorithms: site speed.”

O Google sabe, assim como nós, que este aspecto tem um grande impacto na experiência do utilizador. Um site lento é mais rapidamente abandonado pelos usuários e , no geral, os usuários passam menos tempo nesses sites

Há ferramentas que te permitem verificar a rapidez de carregamento do teu site, como é o caso da PageSpeed Insights que, para além de disso, te dá também boas dicas de como tornar o teu site mais rápido. No entanto há outras ferramentas sugeridas pelo Google que poderão ser igualmente úteis. 

Sugerimos ainda duas dicas muito simples que podes colocar em prática em apenas alguns minutos:
  1. Comprime as imagens que vais colocar no teu site, pode fazê-lo aqui.
  2. Se tiveres o teu site criado no WordPress, instala o plugin WP Supe Cache.

velocidade

4. Decide: queres www ou não www?

Para o Google, www.exemplo.comexemplo.com são dois endereços diferentes. Deves optar por um deles para o teu site, e criar no outro um redireccionamento automático. Ou seja, se optares por usar www  (www.exemplo.com) e criares esse direccionamento, sempre que alguém escrever “exemplo.com” – sem dar uso ao www –  será automaticamente direccionado para o teu site

Esta questão é importante porque, antes de mais, queres ter a certeza que com ou sem www o utilizador vai ter sempre ao teu site, para além de que, considerando o Google que estes são dois endereços distintos, a importância do teu site, em termos de SEO, estará repartida sem este direccionamento. 

Se tiveres o teu site criado no WordPress, instala o Simple 301 Redirects para fazer o redireccionamento.

Redireccionamento

 

5. Proporciona uma experiência única ao utilizador.

Podemos ter um site com um tema espectacular e com todas as técnicas de indexação ao Google aplicadas, mas isso, por si só, não dita o seu sucesso. É altura de falarmos da experiência do utilizador que, aliada ao conteúdo, vão ser os reis do nosso site e ditar grande parte do seu êxito!

Se o conteúdo é rei, a experiência do utilizador é rainha.

Não deverá ser a primeira vez que ouvem a expressão O conteúdo é rei, e asseguramos-vos de que não será a última. O conteúdo é incontornavelmente um ponto forte que pode levar o vosso site às luzes da ribalta – convenhamos, quem não quer que o seu site esteja no top 3 do Google e que seja uma referência no tema que aborda? Afinal, é para isso que o estás a criar ou criaste o teu site: para ser útil à pessoa que procura o produto ou a informação que tu estás a divulgar.

Não é suficiente despejar uma quantidade absurda de conteúdos para o nosso site e ficar a rezar para que o nosso conteúdo seja consumido em massa.

  •  É fundamental adaptarmos o nosso conteúdo ao propósito do nosso site e não nos desviarmos do tema principal. Desta forma, as pessoas vão melhor associar o nosso site a um determinado tipo de conteúdo e recorrerão a ele quando quiserem ser esclarecidas ou informar-se sobre o tema que o nosso site aborda. Simplificando, queremos um site com conteúdo coerente e que, no seu todo, faça sentido para o utilizador.
  • Se o conteúdo é rei, então o conteúdo tem de ter valor! O objetivo não é ser mais um em mil sites que abordam o mesmo tema, mas sim destacarmo-nos entre essas dezenas ou centenas. Podemos – devemos até – fazer uma pesquisa à concorrência, ver como abordaram determinados temas e analisá-los de forma a obtermos a resposta às questões: o que podemos acrescentar de forma a atribuirmos valor ao nosso conteúdo?  A que questões o nosso conteúdo responde? Soluciona um problema que nenhum outro resolva?No fundo, queremos ser úteis para quem nos visita e fornecer conteúdo que, de uma forma ou de outra, se torne essencial para a pessoa.
  • Um bom conteúdo deve reunir certas características que o tornem único. Aspectos que, em conjunto, contribuam para o valor do conteúdo que já vimos ser um factor primordial.
  1. Ser de confiança – transmitir ao leitor que o conteúdo que partilha é verdadeiro e credível;
  2. Ser notável – conter informação que o fará destacar-se dos demais.
  3. Ser objetivo e responder de forma clara ao problema que soluciona.
  4. Ser enganging – captar a atenção da pessoa e fazê-la identificar-se com o conteúdo que está a consumir. Desta forma, a probabilidade de esta voltar a visitar o nosso site é maior.

O conteúdo e a experiência do utilizador devem andar de mãos dadas. Para além de respondermos a quaisquer eventuais dúvidas que o utilizador poderá ter, queremos fazê-lo de maneira única, proporcionando-lhe uma boa experiência quando navega no nosso site.

1. Em qualquer site – qualquer que seja a sua natureza (blog, e-commerce…) – devemos seguir a lógica do “Don’t make me think“. Cada vez mais o utilizador procura respostas diretas e bem direcionadas. Convenhamos, ninguém gosta de estar minutos infinitos à procura do que pretende. O mais provável quando isso acontece, é o utilizador fechar o nosso site e procurar a resposta noutro – o oposto do que se pretende! Devemos, por isso, manter o acesso às várias páginas do nosso site acessíveis e facilmente legíveis e reconhecidas.

Make pages primarily for users, not for search engines – Google

É fundamental que o nosso site seja facilmente navegável. Afinal de contas, estamos a criar um site que queremos que seja acessível a todos!

2. Relembrando o facto de que o conteúdo e a experiência andam de mãos dadas, as palavras-chave para o sucesso são: conteúdo dinâmico e intuitivo. Isto consegue-se através da inclusão de elementos interativos, como:

» Links externos – que poderão reencaminhar para sites que completem a viagem do utilizador e a tornem mais enriquecedora e completa.

» Vídeos / tutoriais.

» Gráficos / Jogos interativos (exemplo)

3. Coloca-te no lugar do utilizador, imagina-te a navegar no teu próprio site.

 

6. Definiste as palavras-chave para as quais vais optimizar o teu site?

Há várias ferramentas que te podem ajudar nesta tarefa:

    • Keyword planner: envolve teres uma conta Adwords (vê aqui como o podes fazer).
    • Keyword Shitter: com base numa keyword escolhida por ti dá-te sugestões de muitas outras.
    • Google Trends: não só podes comparar volumes de pesquisas entre keywords como também te sugere tópicos relacionados com determinada pesquisa.
    • Keyword density analyser: permite-te avaliar as palavras chave usadas pela tua concorrência, bastando para isso inserir o link de um site aqui . Desta forma consegues perceber, por exemplo, quantas vezes a pessoa usou determinadas palavras chave.

 

7. Verifica onde estão colocadas as tuas palavras-chave na estrutura do site

Ao definires as tuas palavras-chave, existem várias preocupações a ter em conta para tirar o máximo proveito das mesmas, ou poderão não obter a eficácia esperada.

Alguns aspectos que deves ter em atenção:

  1. Usar a palavra chave no URL;

palavra chave url

Se o vosso site é WordPress, podem alterar facilmente a URL de cada página:

alterar url pagina

2. Utilizar sinónimos da palavra-chave no website;

sinónimos palavras chave

3. Colocar a palavra-chave nos cabeçalhos H1, H2 e H3;

Cada página do teu website deverá ter apenas um H1, sendo este o título do próprio conteúdo da tua página. O H2 e H3 são os textos seguintes desse conteúdo. Cada H deverá ter a palavra-chave correspondente.

palavras chave cabeçalhos

4. A meta-descrição deve conter a palavra-chave. Se o teu site é WordPress, basta instalares o pluginYoast” para conseguires fazer isto:

Enable Meta Keywords in Yoast SEO

yoast

 

yoast2

 

5. Sempre que carregas uma imagem lembra-te de preencher as etiquetas alternativas (não é mais do que o campo chamado “alt text” que aparece quando carregas a tua imagem), que deve conter a palavra chave relevante nessa página.

etiquetas alternativas imagens

Todas estas dicas são essenciais na orientação e percepção de ter fortes e consistentes palavras-chave, dando uma maior relevância do nosso website ao Google. Se o nosso website for relevante para o Google é mais fácil para os utilizadores o alcançarem, assim como os nossos artigos.

 

Depois destas dicas de SEO, sentes-te pronto para pôr o teu site no topo das pesquisas?

Lembra-te que não é suficiente ter apenas um site com um bom layout e bom conteúdo – também ajuda, mas não fará milagres quanto ao aparecimento do teu site no topo das pesquisas. Trabalha nestas e noutras dicas de SEO que possam ajudar o teu site a ter uma maior visibilidade. Com tempo e dedicação, conseguirás!

 

Este artigo foi escrito no âmbito do módulo SEO-SEM do curso de Digital Marketing & Strategy da Edit. – Disruptive Digital Education por:

Rute Marques | Catarina Quatorze | Joana Alves da Silva | Gil Prazeres | Marta Ferraz

deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Agência.pt - Agência PONTO pt