Para compreender SEO, é preciso conhecer o conjunto de regras que os motores de pesquisa utilizam para ordenar os resultados. Uma destas regras ou fatores é a interação, que faz parte do User Experience – uma poderosa ferramenta para conseguirmos vencer o sistema e aparecer no topo das SERPs.

A forma como o utilizador interage com o nosso site desde o primeiro click e até ao momento em que decide sair, terá certamente impacto na posição da pesquisa orgânica. A isto podemos chamar a experiência do utilizador ou User Experience (UX) – é isto que indica aos motores de pesquisa se o nosso site realmente oferece uma solução útil à pesquisa efetuada.

Uma excelente UX não só é interpretada pelo Google como um site digno de estar no topo, mas também ajuda os utilizadores a gerarem uma percepção positiva, partilhando conteúdos e retornando ao site. Tudo isto no fim, ajuda os motores de pesquisa a posicionarem melhor o nosso website.

User Experience e como melhorar SEO

Uma coisa é certa: se o nosso site não agrada o utilizador, será impossível chegar (e permanecer) no topo da SERP (Search Engine Results Page).

É verdade, os motores de pesquisa e especialmente o Google estão cada vez mais focados na UX. Ou seja, para além da importância das keywords e backlinks, é preciso haver uma boa interação com os conteúdos do site. É desta forma que os sites conseguem provar cada vez mais aos search engines que satisfazem o utilizador.

O que é uma boa interação? Como podemos potenciar a interação para melhorar o SEO?

Existem várias formas de se interagir com um site – enviando assim uma variedade de sinais positivos ao Google relativamente à experiência do utilizador.


ESTRUTURA

Ao contrário do que pensamos, a estrutura de um site não tem somente a função de indexar o site no algoritmo da Google.

Uma boa estrutura significa uma boa user experience. Se oferecer numa navegação lógica, simples, intuitiva e agradável ao utilizador, ele permanecerá no seu site por mais tempo.

E porquê isto interessa? Ao gastar mais tempo no site (a interagir com diversos links, páginas, vídeos, imagens de qualidade, etc), estamos a influenciar o seu ranking nos motores de pesquisa, porque o Google detecta factores como o “bounce rate” e “dwell time” do utilizador. Apesar de pouco falados, estes são dois factores chave para SEO!

Como reduzir o bounce rate e aumentar o dwell time?

  • Hierarquia: é lógica? Divide o conteúdo em categorias e subcategorias de forma equilibrada?
  • Internal Linking e a navegação curta: o utilizador consegue encontrar facilmente a página que precisa em três clicks ou menos? E depois consegue voltar rapidamente à homepage? A qualidade dos links internos ajudam não só os motores de pesquisa, mas também o utilizador.
  • Equilíbrio imagem/texto: em SEO os links de texto são mais fortes do que a navegação feita através de imagens. Apesar dos conteúdos multimedia serem importantes para SEO, é preciso haver um equilíbrio com o texto.
  • Site responsive: o site é mobile friendly? Os motores de pesquisa dão preferência a websites responsivos (adaptáveis a diferentes dispositivos e ecrãs), porque a maior parte das pesquisas Google acontecem em mobile.
  • É rápido a carregar? (quem nunca esperou vários segundos para abrir um site, para depois desistir rapidamente do mesmo?)


CTR (Click-Through-Rate)

As interações dentro do nosso site podem ser medidas e otimizadas através do Click-Through-Rate (CTR).

Como exemplo temos sites de e-commerce, que como o nome indica, têm o propósito de gerar vendas de um determinado produto. Para medir a eficácia dos mesmos, um KPI muito importante é o CTR, pois ajuda a medir quantos visitantes da página visualizaram um produto VS. quantos destes clicaram no link que leva à compra. Esta medida de interação é reconhecida pelo Google como um sinal de que o website cumpriu os objetivos do utilizador.

Google serves its users – not website owners”

Consequentemente, ao ter atenção ao nosso CTR e retirar insights de como melhorar a experiência do utilizador, podemos aparecer mais vezes e mais acima em pesquisas futuras.

Click Through Rate e a interação no site


O CONTENT MARKETING E A INTERAÇÃO

E o Content Marketing , também pode influenciar o ranking?

De forma mais simples e direta, uma boa gestão e atualização de conteúdos multimedia no nosso site pode gerar muitas interações. Quando o nosso conteúdo se torna relevante para o target, será clicado (aumentando o CTR), partilhado (gerando links para fora do site), e aumentará o “dwell time” do utilizador no site.

Podem ser fotografias, vídeos, textos, slideshows, links, botões (ex: “download app”), entre outros.

Content marketing e interação

De forma indireta, podemos influenciar o ranking de um site nas SERPs ao apresentar ao visitante um conteúdo tão interessante que o faça voltar a entrar na nossa página – gerando tráfego.

Imaginemos um site de consulta para compras de viagens como o Skyscanner. Existem inúmeros sites que de uma forma ou outra, oferecem o mesmo serviço. Entre tantos fatores, para o SEO podemos considerar que a afluência ao site por parte de utilizadores de vários cantos do mundo, e a sua interação, é relevante.

Se os primeiros utilizadores tiverem uma boa interação com o conteúdo, isto fará com que o site seja aconselhado a outros. Isto posteriormente trará mais visitantes ao mesmo. As pessoas poderão não se lembrar do que dissemos, mas certamente se lembrarão de como as fizemos sentir. A experiência do utilizador será o que o faz voltar, e o Content Marketing tem um papel essencial em incentivar esse regresso. É desta forma que, com o aumento de visitas, o Google percebe que o site é relevante naquilo que faz e isto pode catapultar o mesmo para o topo da SERP.

Quem nunca entrou numa página web e em menos de 10 segundos saiu sem pensar duas vezes e sem nunca mais voltar? É como ir aquele restaurante novo que abriu e decidir não voltar mais porque o serviço não era bom.

Para perceber como isto funciona em termos de SEO, Susan Hallam partilhou uma experiência feita por Rand Fiskin da Moz em Junho de 2015:

1 – Clique no primeiro resultado do Google e saia imediatamente da página de modo a voltar à página inicial de pesquisas. Com isto indica ao Google que esta página não é relevante, ou  que o conteúdo apresentado foi insatisfatório para aquilo que pretendia.

2 – Clique noutro resultado diferente, por exemplo o 4º resultado na sua pesquisa, mas desta vez não saia da página. Está a transmitir ao Google que esta página o cativou e apresentou conteúdos interessantes.

3 – Após cerca de 70 minutos e com perto de 500 interações dentro da página, a página que anteriormente estava na quarta posição passou para a liderança do ranking de pesquisas  orgânicas.


SOCIAL MEDIA

Hoje em dia as redes sociais são tão indispensáveis para os sites e marcas, que até se fala na possibilidade de utilizar as mesmas para melhorar o SEO.

Como?

Existem razões para crer que o algoritmo do Google faz a pesquisa nas suas páginas indexadas incluindo as páginas de redes sociais associadas ao site. E se a presença de redes sociais influentes pode potencializar a posição do site na pesquisa orgânica, como podemos utilizar isto para aumentar a interação dentro do nosso site?

Basicamente, se tivermos links de qualidade para as nossas redes sociais no site (altamente clicados, por diversos utilizadores), podemos certamente subir no ranking. Para isto, é essencial chamar a atenção do utilizador para as nossas páginas das redes sociais, enquanto navegam o nosso site. Certifique-se que os ícones das suas redes sociais estão visíveis no site, e adicione um “call to action” (ex: “Follow us!” ou “Estamos no Instagram!”).

social media e seo


CONCLUSÃO: PLANEIA, OTIMIZA E MEDE!

É importante pensar em todas as formas possíveis de gerar mais interações com o nosso conteúdo, e existem imensas possibilidades, dependendo do tipo de site que temos.

Quanto mais o utilizador escreve reviews/comentários, dá ratings e classificações (ex: ecommerce), clica em botões e ícones (ex: redes sociais), vê vídeos/fotos e navega páginas, melhor é a “reputação” do nosso site no Google. Mais do que isto, estas interações podem aparecer no Data Markup do site, que logo na pesquisa Google já informa quantas pessoas deram reviews e os ratings do produto/serviço em questão.

Este artigo foi escrito no âmbito do módulo SEO-SEM do curso Digital Marketing & Strategy da EDIT. – Disruptive Digital Education por André Couto , Heloisa Moraes, Miguel Abrantes Botelho, Rafael Fernandes, Rui Maia, Sara Osório

deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Agência.pt - Agência PONTO pt